Rua Direita
Domingo, 15 de Maio de 2011
Miguel Botelho Moniz

Há cerca de um ano, as eleições parlamentares britânicas resultaram num hung parliament, que é como quem diz, um parlamento sem nenhuma maioria mono-partidária. O Partido Liberal-Democrata, de Nick Clegg, encontrou-se finalmente na posição que perseguiu durante décadas: A de fiel da balança, ou, para usar o jargão favorito na velha Inglaterra, de Kingmaker. Acabou por ser a realização do enredo do famoso livro de Jeffrey Archer, First Among Equals.

 

Efectivamente, os liberais-democratas podiam fazer uma maioria com qualquer dos dois grandes partidos britânicos; quer o incumbente Partido Trabalhista, liderado pelo impopular Gordon Brown, quer o Partido Conservador, liderado por David Cameron, que conseguiu ser o mais votado.

 

Ao contrário do sistema português, no Reino Unido as eleições decorrem com o governo em plenas funções. Na verdade, há mesmo a prerrogativa do primeiro-ministro incumbente de tentar conseguir o apoio de uma maioria parlamentar para se manter em funções; sendo a tradição de que ao falhar esse apoio, se demita.

 

 

Em momento algum se considerou anormal que qualquer dos dois cenários de coligação fosse o escolhido. O normal, num regime democrático parlamentar, é que o governo seja apoiado por uma maioria. Quer esta inclua, ou não, o partido mais votado.

 

(Em Stereo)

Publicado Por Miguel Botelho Moniz em 15/5/11
Link do Post | Comentar
4 comentários:
De M.D. a 15 de Maio de 2011 às 06:34
" incumbente "??
Incumbente (do latim (http://pt.wikipedia.org/wiki/Latim) incumbens- entis, particípio presente de incumbo-ere, significando deitar-se sobreestender-se sobre,inclinar-se para)[1] (http://pt.wikipedia.org/wiki/Incumbente#cite_note-Priberam-0) é um termo técnico utilizado em botânica (http://pt.wikipedia.org/wiki/Bot%C3%A2nica), geologia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Geologia) e entomologia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Entomologia), para designar algo que está jacente a outra coisa, ou aposto a ela:[1] (http://pt.wikipedia.org/wiki/Incumbente#cite_note-Priberam-0)
É de muito bom gosto e demonstra uma imaginação fértil,a utilização de termos ingleses traduzidos literalmente...
Ai o tradutor do Google!
Assim qualquer um faz posts.


De Zélia Pinheiro a 15 de Maio de 2011 às 13:54
O primeiro ministro incumbente é o que está deitado sobre o poder... ou sentado em cima dele.... faz sentido.


De M.D. a 15 de Maio de 2011 às 13:55
Sendo assim,pelo que faz sentido,já cá não está quem falou!


De M.D. a 15 de Maio de 2011 às 13:58
E já agora,referindo o actual em funções e o putativo próximo (espero que não),porque não INCUBO!


Comentar post

Autores
Contacto
ruadireitablog [at] gmail.com
Subscrever Feeds
Redes Sociais
Siga o  Rua Direita no Twitter Twitter

Temas

'tiques socráticos'(6)

acordo(10)

administração pública(8)

ajuda externa(21)

alternativa(7)

bancarrota(13)

be(7)

bloco(11)

bloco central(5)

campanha(50)

cds(102)

cds-pp(12)

cds; psd(6)

comunicação(7)

constituição(6)

day after(8)

debate(12)

debates(52)

defice(8)

democracia(10)

desemprego(10)

desgoverno(11)

despesa pública(9)

dívida pública(11)

economia(20)

educação(19)

eleições(26)

esquerda(6)

estado social(23)

fiscalidade(14)

fmi(46)

futuro de portugal(17)

governar portugal(6)

governo(9)

humor(9)

josé sócrates(36)

legislativas 2011(6)

ler os outros(21)

maioria absoluta(26)

manifesto(32)

memorandum(38)

novas oportunidades(14)

passos coelho(13)

paulo portas(10)

política(15)

portugal(26)

programa de governo(7)

ps(108)

psd(73)

sair da crise(22)

saúde(6)

socialismo(19)

sócrates(63)

socrates(11)

sondagens(12)

troika(31)

tsu(7)

valores(6)

voto(9)

voto útil(32)

todas as tags

Últimos Links
Twingly Blog Search link:http://ruadireita.blogs.sapo.pt/ sort:publishedÚltimos Links para o Rua Direita
Pesquisar Neste Blog
 
Arquivos

Novembro 2011

Junho 2011

Maio 2011

blogs SAPO