Rua Direita
Segunda-feira, 6 de Junho de 2011
José Maria Montenegro

Em complemento do post do Gabriel

 

É incontestável que o CDS teve um resultado extraordinário. Foi o seu segundo melhor resultado de sempre. Aumentou a percentagem de votos e o número de deputados num momento em que o PSD sobe muito (10%) face às eleições anteriores. Tem tantos deputados como o PCP e o Bloco juntos. Recebe um mandato inequívoco para integrar o Governo (não vai por favor). Contribuiu para uma maioria absoluta de centro direita, seja de deputados seja de votantes. Cresceu nos grandes centros urbanos (Lisboa, Oeiras, Cascais, Sintra, Porto, Matosinhos, Gaia, Setúbal, Almada).

Contribuiu para a derrota impiedosa do primeiro-ministro José Sócrates. Apesar da contenda eleitoral, soube preservar uma relação saudável com o PSD, muito importante nas negociações e formação do próximo Governo.

 

Foi também um grande resultado do PSD. Face ao PS, teve mais de 10% dos votos e muitos mais mandatos. Suplantou largamente o espectro da vitória à tangente. De um modo geral, conseguiu unir o Partido. Não fugiu aos temas difíceis e respondeu a todas as questões – fáceis ou difíceis, adversas ou populares – que lhe foram colocadas. Soube manter o nível do debate eleitoral. Manteve a palavra na hora da vitória, não ostracizando o PS e confirmando o entendimento com o CDS. Era muito importante termos um Primeiro-Ministro forte, com uma legitimidade eleitoral inequívoca. O resultado de ontem contribuiu decisivamente para esse objectivo.

 

PS. Tiago, naturalmente que o país exige contenção e discrição, e por isso seria incompreensível uma grande celebração. Tão incompreensível como não perceber que é humano, num primeiro momento, não rejubilar com resultados que ficaram aquém das sempre débeis sondagens. A alegria, a excitação e a festa em noites eleitorais têm muito que ver com os resultados objectivos – é certo – mas também com a expectativa ou ilusão de que se parte, seja esta fundada ou não.

Publicado Por José Maria Montenegro em 6/6/11
Link do Post | Comentar
2 comentários:
De Tiago Geraldo a 6 de Junho de 2011 às 16:28
José,


Concordo com tudo o que dizes, mas talvez por ter expectativas mais baixas (lembro que na última semana a média das sondagens dava ao CDS 12%,  percentagem que se veio a verificar - cf. http://margensdeerro.blogspot.com/2011/06/rescaldo.html) acho que este foi um extraordinário resultado para o CDS.


E apetecia-me celebrá-lo (evidentemente com discrição) com aqueles que contribuíram para esse extraordinário resultado. Infelizmente, não vi grande reciprocidade, mas apenas rostos carregados.


Um abraço.


De José Maria Montenegro a 6 de Junho de 2011 às 23:10
Caro Tiago,

Tens toda a razão na «crítica das expectativas».

Abraços,

Zé Maria


Comentar post

Autores
Contacto
ruadireitablog [at] gmail.com
Subscrever Feeds
Redes Sociais
Siga o  Rua Direita no Twitter Twitter

Temas

'tiques socráticos'(6)

acordo(10)

administração pública(8)

ajuda externa(21)

alternativa(7)

bancarrota(13)

be(7)

bloco(11)

bloco central(5)

campanha(50)

cds(102)

cds-pp(12)

cds; psd(6)

comunicação(7)

constituição(6)

day after(8)

debate(12)

debates(52)

defice(8)

democracia(10)

desemprego(10)

desgoverno(11)

despesa pública(9)

dívida pública(11)

economia(20)

educação(19)

eleições(26)

esquerda(6)

estado social(23)

fiscalidade(14)

fmi(46)

futuro de portugal(17)

governar portugal(6)

governo(9)

humor(9)

josé sócrates(36)

legislativas 2011(6)

ler os outros(21)

maioria absoluta(26)

manifesto(32)

memorandum(38)

novas oportunidades(14)

passos coelho(13)

paulo portas(10)

política(15)

portugal(26)

programa de governo(7)

ps(108)

psd(73)

sair da crise(22)

saúde(6)

socialismo(19)

sócrates(63)

socrates(11)

sondagens(12)

troika(31)

tsu(7)

valores(6)

voto(9)

voto útil(32)

todas as tags

Últimos Links
Twingly Blog Search link:http://ruadireita.blogs.sapo.pt/ sort:publishedÚltimos Links para o Rua Direita
Pesquisar Neste Blog
 
Arquivos

Novembro 2011

Junho 2011

Maio 2011

blogs SAPO