Rua Direita
Quinta-feira, 26 de Maio de 2011
Filipe Santos

Parece cada vez mais sério o risco da Grécia não conseguir cumprir o seu serviço da dívida.

 

Só isso justifica que se fale em "reprofiling", um novo eufemismo para a reestruturação da dívida (um malogrado "evento de crédito" de consequências gravosas).

 

Se a Grécia cair nesta desgraça é possível que venha a ter de sair do Euro. E se isso acontecer quebra-se um mito (o da unidade e irreversibilidade do processo europeu). Nesse cenário é possível que Portugal siga o mesmo caminho. Podemos, por isso, estar perto do abismo.

Sair do Euro significa entregar Portugal definitivamente ao grupo dos pobres.

 

Por tudo isto Portugal precisa de um governo forte, tecnicamente preparado e muito coeso. E precisa que gente incorrigível, como muita da que ainda nos governa, seja definitivamente afastada.

 

Este é o momento. Por ti. Por todos. Por Portugal antes que seja tarde demais.

Publicado Por Filipe Santos em 26/5/11
Link do Post | Comentar
Domingo, 8 de Maio de 2011
Filipe Santos

 

Talvez Francisco Louçã esteja convencido de que assim como a intervenção do FMI de 1983 produziu o PRD (que obteve mais de 1 milhão de votos), esta intervenção do FMI poderia poderia promover o Bloco de Esquerda à "primeira liga".

 

Contudo, como escrevi aqui, o que prevejo, e o que se prevê, é a derrocada eleitoral do Bloco.

 

O PRD de 2011 pode bem ser o CDS porque é este o partido da alternativa. 

Temas: , , ,
Publicado Por Filipe Santos em 8/5/11
Link do Post | Comentar
Filipe Santos

aqui disse que o plano da Troika implica medidas duras, ao contrário do que sugeriu o Primeiro Ministro.

 

Hoje, venho afirmar que o plano da Troike é uma oportunidade porque oferece a todos os portugueses o que nos faltava, um horizonte.

Até agora, vivíamos de PEC em PEC, sem sabermos para onde caminhavamos. A partir de agora, sabemos o caminho que temos de fazer, os esforços que são necessários, e podemos confiar que daqui a 3 anos teremos os fundamentais da economia mais saudáveis, capazes de pôr o país a crescer.

 

A questão que se coloca, para as próximas eleição, é em grande medida a de saber que está em melhores condições para o fazer.

A notícia recente de que PS e PSD estão a resistir à ideia da redução do número de municipios e das chefias na administração local , apesar da medida constar do plano da Troika que o governo negociou e o PSD aceitou, confirma que é essencial que o CDS tenha a maior influencia possível no próximo governo. 

Publicado Por Filipe Santos em 8/5/11
Link do Post | Comentar
Quarta-feira, 4 de Maio de 2011
Filipe Santos

Num documento de 33 páginas (ainda não li o 2.º MoU) podem ler-se as medidas que permitirão a Portugal aceder a um empréstimo de €78 milhões.

 

Algumas dessas medidas são de aumento: do IMI, do imposto automóvel, do IVA sobre a electricidade (e outros produtos), do imposto sobre o tabaco.

 

Outras são de diminuição ou eliminação: das pensões (acima dos €1500), das deduções fiscais (na educação, na habitação e até na saúde), das prestações sociais (maxime do subsídio de desemprego), dos benefícios da ADSE.

 

Também existam medidas de congelamento: de salários na função pública e das pensões, até 2013.

 

Quer isto dizer que, como não podia deixar de ser, o plano da Troika implica ir "ao bolso" aos portugueses. Bem se percebe, portanto, a cara de Teixeira dos Santos enquanto assistia ao acto de pura propaganda de ontem à noite que dava a entender que as medidas não seriam gravosas.

 

As medidas são duras como, infelizmente, tinham de ser porque Portugal se endividou excessivamente para satisfazer, tantas vezes, meros caprichos.

 

 

Publicado Por Filipe Santos em 4/5/11
Link do Post | Comentar
Filipe Santos

Ao início da noite, José Sócrates apresentou ao país, com grande habilidade política, as medidas que não foram acordadas com a Troika.

 

Foi (mais) um acto de pura propaganda. Competia ao Primeiro Ministro ter apresentado não só o valor do empréstimo, mas também a taxa de juro a pagar e o plano a cumprir.

 

Mas na verdade, para além do valor do empréstimo que será concedido a Portugal (€78 mil milhões), pouco ou nada de relevante foi revelado pelo Primeiro Ministro relativamente ao conteúdo desse acordo.

 

Sócrates, como lhe convinha, deixou para outros mensageiros a revelação das "más notícias", ou seja, as medidas duras que vão ter de ser tomadas para corrigir, entre outras coisas, o desvario da governação dos últimos anos.

Publicado Por Filipe Santos em 4/5/11
Link do Post | Comentar | Ver Comentários (3)

Autores
Contacto
ruadireitablog [at] gmail.com
Subscrever Feeds
Redes Sociais
Siga o  Rua Direita no Twitter Twitter

Temas

'tiques socráticos'(6)

acordo(10)

administração pública(8)

ajuda externa(21)

alternativa(7)

bancarrota(13)

be(7)

bloco(11)

bloco central(5)

campanha(50)

cds(102)

cds-pp(12)

cds; psd(6)

comunicação(7)

constituição(6)

day after(8)

debate(12)

debates(52)

defice(8)

democracia(10)

desemprego(10)

desgoverno(11)

despesa pública(9)

dívida pública(11)

economia(20)

educação(19)

eleições(26)

esquerda(6)

estado social(23)

fiscalidade(14)

fmi(46)

futuro de portugal(17)

governar portugal(6)

governo(9)

humor(9)

josé sócrates(36)

legislativas 2011(6)

ler os outros(21)

maioria absoluta(26)

manifesto(32)

memorandum(38)

novas oportunidades(14)

passos coelho(13)

paulo portas(10)

política(15)

portugal(26)

programa de governo(7)

ps(108)

psd(73)

sair da crise(22)

saúde(6)

socialismo(19)

sócrates(63)

socrates(11)

sondagens(12)

troika(31)

tsu(7)

valores(6)

voto(9)

voto útil(32)

todas as tags

Últimos Links
Twingly Blog Search link:http://ruadireita.blogs.sapo.pt/ sort:publishedÚltimos Links para o Rua Direita
Pesquisar Neste Blog
 
Arquivos

Novembro 2011

Junho 2011

Maio 2011

blogs SAPO