Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rua Direita

Rua Direita

31
Mai11

Patiotrismo

José Meireles Graça

Numa carta a Pinheiro Chagas, salvo erro, Eça estabeleceu a imperecível distinção entre patriotaças, patriotinheiros, patriotadores e patriotarrecas.


Ocorreu-me isto a propósito deste texto do Daniel Oliveira, embora não lhe faça a injúria de o encaixar em qualquer das categorias.


Os actuais e parte dos futuros governantes que Daniel - abençoada lucidez - já não tem dúvidas quem venham a ser, são taxados de "comissários" e "capachos", por se prontificarem a seguir a dolorosa receita que os credores propinam para, encostando a barriga ao balcão para nele alinharem 78 mil milhões, terem um módico de garantias de que irão ver de volta, se não tudo, ao menos uma parte do óbolo.


Neste desprezo envolve também os eleitores, porque, nas palavras dele, "A maioria dos portugueses acha que merece ser tratada com este desprezo. Aplaude a chegada do colono e acredita que ele vem pôr a piolheira na ordem. Aceita o insulto sem um protesto."


Eu discordo das escolhas que os meus concidadãos têm feito - há muito tempo. E não acho sequer que no próximo Domingo vão fazer a melhor escolha, apenas vão na boa direcção. Mas cada qual lê a Alma Portuguesa como quiser: a minha interpretação é que a maioria dos Portugueses, no nevoeiro dos números, das explicações do passado e das projecções do futuro, intui que não é mais possível continuar ano após ano a gastar mais do que se tem; e que, sendo necessário produzir mais e pagar a quem se deve, não é com a Esquerda ao timão que isso pode suceder.


Daí a passividade - não de uma qualquer atávica e bovina inferioridade.

31
Mai11

O Jornal de Campanha

O Herdeiro de Baco

Quando fiz este Post perguntei se o DN era o jornal de Campanha do PS.

 

Hoje, a página dois deste jornal é dedicado à Ministra da Cultura.

 

Sendo que o Titulo é "Ministra do PS quer reduzir IVA nos livros electrónicos", reparem que não é Ministra da Cultura Portuguesa, mas sim Ministra do PS. Inacreditável!

 

O subtitulo vai mais longe e diz que "Gabriela Canavilhas quer menos impostos sobre "e-books" e garante que a taxa sobre os livros não sobe dos 6%. Socialistas prometem manter ministério e recebem o apoio de cem personalidades."

 

Depois de ler a noticia e principalmente de ler o título e o subtítulo, procurei a parte em que diria publicidade, mas nada....

 

 

Para que não restem dúvidas, aqui está a foto:

 

31
Mai11

Em campanha no Diário Económico III

Inês Teotónio Pereira

Ontem

 

Sobre o estilo


O estilo do PS é mau, muito mau, quer em campanha quer no Governo. O estilo é este: não existe amanhã e ontem foi uma miragem; é preciso garantir, prometer e sobreviver até dia 5; o que interessa é aguentar de pé sem vacilar e a qualquer preço. Não interessa o que se diz, só interessa como se diz; não interessa o conteúdo, interessa apenas que alguém acredite na palavra de ordem repetida pelo primeiro-ministro nos comícios assistidos por imigrantes. É preciso repetir até à exaustão palavras como estado social, instabilidade política e os monstros da direita. Interessa o retrato para a TV e o estilo do primeiro-ministro, se fica melhor assim ou assado, apenas isso. Se rimar, melhor ainda.

O estilo do PS, por ser mau, por ser agressivo, por estar fundamentado num vazio imenso, por ser apenas estilo, sem conteúdo, plano, ou fundamento, não leva o PS a lado nenhum e não leva voto nenhum ao PS.

O estilo do PS é tropeçar, dar tiros no pé, e fingir que estar a dançar. Só por isso, só pode ser por uma questão de estilo, que o Governo escondeu aos partidos e ao país a versão final do memorando de entendimento aprovada em Bruxelas. Para o Governo esta é uma questão menor, não faz mal nenhum, eram só coisinhas de calendário. Pois, não faz mal, assim como não fez mal esconder ao Presidente da República o PEC IV ou Governar o país como se o país fosse uma secção concelhia do PS. É um estilo.

 


 

31
Mai11

Foi você que pediu uma maioria absoluta? (10)

Tomás Belchior
31
Mai11

Foi você que pediu uma maioria absoluta? (8)

Tomás Belchior
31
Mai11

Foi você que pediu uma maioria absoluta? (7)

Tomás Belchior
31
Mai11

Foi você que pediu uma maioria absoluta? (5)

Tomás Belchior

Pág. 1/82

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contacto

ruadireitablog [at] gmail.com

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D