Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rua Direita

Rua Direita

31
Mai11

A Esquerda, o Socialismo e a Falência

Marcos Teotónio Pereira

Já repararam que mais tarde ou mais cedo estes três conceitos aparecem na mesma frase? Um sistema económico Socialista, totalitário ou não, é como que uma força de bloqueio à actividade económica. Com o tempo vai-se tornando mais eficaz acabando o país inevitavelmente, na ruína. Podemos dar muitos exemplos recentes disto e discutir os casos futuros (a velha Europa está cheio deles). As pessoas bem intencionadas do PS e do PSD (que as há) precisam de saber que uma sociedade solidária não se faz arruinando os países e prejudicando as gerações futuras. Não se faz com um sistema económico Socialista.

 

É possível ter uma Sociedade Solidária desde que o Estado tenha juízo. Desde que o Estado seja poupado e respeite o dinheiro que lhe está confiado. Desde que se encontrem os equilíbrios entre o incentivo à criação de riqueza e a promoção do bem comum.

 

 

 

16
Mai11

Sobre esta coisa do Estado Social…

Miguel Sanches

O único partido que tem defendido um verdadeiro sentido de ética social no clima que vivemos é o CDS. Defender a distribuição dos sacrifícios e tratar de pôr a economia a mexer, mitigando os riscos de exclusão social é o desafio que se impõe.

 

Não basta encher a boca com o chavão da defesa do estado social quando, na prática, se retiram apoios sociais como o abono de família a mais de 600.000 beneficiários, se atacam as IPSS’s com o código contributivo e se diminuem as comparticipações dos medicamentos aos mais idosos e aos mais dependentes.  

PS e PSD para além de terem esquecido estas questões nos sucessivos PEC’s, apenas debitam generalidades e não acrescentam nada de novo.

Este modelo socialista de estado social omnipresente está falido.

 

A abordagem e as soluções que o CDS apresenta no seu manifesto são inovadoras e focam-se num verdadeiro combate à exclusão social no terreno, por quem o pode combater mais eficazmente.

E para quem ande no terreno e conheça o trabalho das inúmeras entidades da Economia Social, facilmente se apercebe que o Estado Central, através da Segurança Social representa, muitas das vezes, um entrave e não o estímulo. É necessário dar força para que estas instituições façam o seu caminho. É preciso descomplicar, adequar leis e regulamentos à realidade mantendo rigor e fiscalização.

 

Acredito que apenas com a força do CDS teremos um modelo de Estado Social assente em Responsabilidade, Coerência e Pragmatismo e que acima de tudo, respeite quem, por esse País fora, todos os dias, não se demite da sua função social.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contacto

ruadireitablog [at] gmail.com

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D