Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rua Direita

Rua Direita

14
Mai11

Breve história do debate

Zélia Pinheiro

Pessoalmente, acho que o debate Passos-Portas se saldou por um empate – porque o CDS ainda nao apresentou o seu programa e porque para mim devia deixar cair a guerra à TSU, cuja redução será uma medida incontornável para qualquer futuro governo. A proposta sobre a AR, que é interessante, tem muito de irrealista - aí PPC esteve bem - pelo que nao é verdadeiramente convincente.

Mas nao quer dizer que nao percepcione que, para o comum das pessoas, Portas ganhou. Por aqueles factores de ordem mais emocional: foi mais assertivo e confiante, mais “politico" do que um Passos que volta e meia acusa mesmo a inexperiencia nestas lides.  

13
Mai11

Desmistificação e Desassombro

João Lamy da Fontoura

São duas palavras que, do meu ponto de vista, sintetizam a prestação de Paulo Portas no debate com Passos Coelho e, em particular, os dois pontos que, para mim, dele se destacam:

 

(a)    Perante o raciocínio em ciclo vicioso de Passos Coelho de que é ao PSD que cabe liderar o próximo Governo e que, para isso, precisa de uma ampla votação, a demonstração de que uma opção maciça dos eleitores pelo CDS não prejudica (antes pode favorecer) o derrube de Sócrates. Ilustrada pelo cenário de 23% de votos no PSD e 23,5% no CDS, assistimos a uma claríssima refutação - aliás, sem resposta - da tese do voto pretensamente útil. Daí o desassombro;

 

(b)   A clarificação de que o essencial, no que respeita à representação política, estará na proporcionalidade na conversão dos votos em mandatos e não tanto no número de deputados total na Assembleia da República. Aí reside a desmistificação (e a certidão de óbito?) daquele que vem sendo apontado como um dos temores recorrentes daqueles que se revêem no CDS.

 

Isto exposto - e não é pouco, já que aqui vai ínsita a assunção do CDS como uma alternativa real -, a consistência da linha de actuação e do caminho proposto pelo CDS tomaram forma no próprio debate, restando, apenas, uma dúvida, que Passos Coelho não esclareceu: se não era o CDS, quem seria, então o «pau de cabeleira»?

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contacto

ruadireitablog [at] gmail.com

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D